'A pessoa mais interessada em esclarecer sou eu', diz Colombo sobre lista de Janot

18 Março 2017 08:14:49

DC
Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Após um rápido evento para assinar o projeto com os novos valores do salário mínimo em Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD) falou pela primeira vez à imprensa sobre a possibilidade de estar citado na lista do procurador-geral Rodrigo Janot - entregue na terça-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) para continuidade das ações envolvendo a Operação Lava-Jato. De acordo com a Rádio CBN, Colombo é um dos governadores listados, mas com a orientação de que o caso seja repassado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde são julgados os governadores.

Em tom de desabafo, Raimundo Colombo reafirmou que a Odebrecht não teve negócios com o Estado em seu mandato e que o interesse da empreiteira pela Casan não foi levado adiante porque "seria um mau negócio para Santa Catarina". O governador não negou, mas disse desconhecer doações da Odebrecht em caixa dois para suas campanhas eleitorais.

- Se tiver alguma coisa errada nisso, eu vou responder por isso.

Veja, em tópicos, o que disse o governador:

Odebrecht em Santa Catarina

Eu assumi em 2011. Desde o dia em que assumi, a Odebrecht não teve em Santa Catarina nenhum contrato, não assumiu nenhuma obra, não fizemos nenhum pagamento à Odebrecht. Ela também não disputou nenhuma licitação. Ela poderia ter vindo aqui e concorrido e também nunca fez.

Negociação envolvendo Casan

A informação que vaza é a questão da Casan. Em 2010, quando eu era candidato, a situação do saneamento era crítica. Os municípios todos saindo da Casan: Lages, Joinville, Chapecó. Em saneamento, éramos o 24º Estado do país. Minha tese era de que buscássemos um parceiro privado que detivesse conhecimento técnico para a gente avalizar. Quando a gente assumiu e fomos olhar os números da Casan, tínhamos dois problemas graves. Um passivo trabalhista e um passivo previdenciário. Se fôssemos vender 40% da Casan, o valor seria muito baixo. Não tinha como fazer isso, seria um mau negócio para Santa Catarina. Já em 2012 comunicamos todas as empresas e o setor: não será vendida.

Possíveis acusações

O que podem dizer de mim? "Ele fez um contrato?" Não tem, é só olhar, são documentos públicos. "Vendeu a Casan"? Não, nenhuma ação da Casan foi vendida. "As outras empresas envolvidas na Lava-Jato prestaram serviços em Santa Catarina?". Não conheço nenhuma. O que eu sei da delação é o que vocês sabem. Vou contratar um advogado para poder ter acesso e explicar. Não tenho uma informação maior sobre porquê meu nome está lá ou não está. Não sei. E se estiver, vou esclarecer olhando nos olhos de vocês e de todos os catarinenses. Não há como me acusar de alguma coisa além disso porque não foi feito. Estamos discutindo a paternidade de um filho que não nasceu, de um filho que não foi sequer gerado, porque não vendemos nenhuma ação, não temos nenhum contrato, nenhuma obra.

A defesa

Hoje o que tem é sigilo de justiça. Não tem nada oficial. Eu estou sofrendo com isso há um ano. A pessoa mais interessada em esclarecer sou eu. Estava vindo de Blumenau ontem à noite e me disseram "saiu numa rádio". Eu não sei o que saiu, eu não tenho acesso. O que eu posso fazer e vou fazer é contratar um advogado para saber o que é. Até agora não agi porque o que eu posso fazer? Sai teu nome lá, uma notinha na Folha de S. Paulo, no outro dia não está mais. Quando saiu uma nota no final do ano de que tinha um processo contra mim (do Portal G1, sobre inquérito no STJ), nosso pessoal foi lá no procurador e ele disse "não tem nenhum documento contra o governador aqui".

Doação eleitoral em caixa dois

Houve doação de campanha? Nós vamos averiguar. Evidentemente que o candidato pede ajuda de campanha. Minha campanha foi registrada na Justiça Eleitoral, R$ 22 milhões me parece. Só falta alguém achar que eu tinha R$ 22 milhões no bolso e paguei. Assim sim eu teria feito alguma coisa errada. É claro que o comitê financeiro e os candidatos, todos os candidatos, de vereador a presidente da República, pedem ajuda. Se tiver alguma coisa errada nisso, eu vou responder por isso. Só que eu não sei o que é. Estou absolutamente pronto.

Desabafo

Eu tenho que tocar as obras do governo, o governo tem que continuar em harmonia. Eu não posso me abater. Eu tenho que lutar (se emociona, bebe um gole d¿água). Eu vou cumprir isso, vou cumprir com meu dever até o último dia e de forma honrada, tranquila. Não devemos nada (se emociona mais uma vez). Isso é muito fácil de comprovar. Temos todas as atas das reuniões da Casan. Temos registrado porquê fez, porquê não fez, quando comunicou que não ia fazer. Agora é esperar. É como ir a um médico e ouvir que tem um problema. Agora tem que esperar o exame para ver qual remédio tomar. Não sei qual o problema que eu tenho. "Você pegou algum tostão?"Nenhum e isso é fácil comprovar. Agora tem que ter paciência e deixar a informação chegar para de forma honesta e transparente dizer que se tiver algum erro eu vou responder por ele como qualquer cidadão. Quero garantir, de forma comprovada, que não houve nenhum negócio, nenhuma troca. Eu juro. Isso não aconteceu.

Sobre dinheiro da Odebrecht em campanhas de Colombo

Não sei, eu teria que olhar isso. Não sei se é isso que eles estão falando (nas delações).


ConexaoMaster.gif


Enquete

Você costuma preocupar-se com a economia doméstica?


 

INFORMAÇÕES E CONTATO

AV. Salomão Carneiro de Almeida, 338 - Sala 26 - Ed. Gaboardi Master Center - 89520-000 - Curitibanos/SC (49) 3245.1711

Copyright © 2015 A SEMANA EDITORA LTDA. Todos os direitos reservados.